Turismo, unidade de conservação e conflito em Ilha Grande (Angra dos Reis, RJ): o caso da comunidade da Vila do Aventureiro

Português
Caderno Virtual de Turismo
2010
Atenção às normas de uso. Licença Creative Commons.

Descrição

Caderno Virtual de Turismo Vol. 10, N° 3 (2010)

Resumo

Os conflitos socioambientais envolvendo unidades de conservação ganharam visibilidade maior nas últimas duas décadas no Brasil, em parte pelo crescimento da consciência ambiental e do turismo e em parte pelo aumento do número das unidades de conservação. Neste artigo os autores analisam os conflitos envolvendo uma pequena localidade, a vila do Aventureiro, situada na Ilha Grande (RJ). Mais especificamente, a vila fica na Reserva Biológica da Praia do Sul, e sua praia está contida no Parque Estadual Marinho do Aventureiro. Após uma breve descrição do local, utiliza-se a metodologia de análise dos atores para demonstrar a natureza dos conflitos e suas inter-relações. Conclui-se pela sobre determinação do conflito manifesto (órgão estatal x população residente) pelos conflitos latentes (grandes investidores de turismo x população residente e órgão estatal), indicando-se como a evolução do conflito manifesto pode superar a bipolarização por meio da redefinição do estatuto jurídico da área em disputa com preservação da natureza e atendimento das necessidades da população local. 

Compartilhar