Área de relevante interesse ecológico Seringal Nova Esperança/Acre: intenções e resultados

Português
Pesquisa
Rio de Janeiro
2015
Esta publicação foi autorizada pelo autor.

Descrição

Resumo

Uma das estratégias de preservação/conservação da biodiversidade mais difundida no mundo ao longo do século XX e que tem sido responsável por proteger áreas de grande importância para a sociobiodiversidade é a criação de unidades de conservação. A Área de Relevante Interesse Ecológico Seringal Nova Esperança (ARIE S.N.E.), localizada nos municípios de Epitaciolândia e Xapuri, no estado do Acre, é uma unidade de conservação de uso sustentável criada com o objetivo de proteger as castanheiras e seringueiras. O trabalho tem como objetivo analisar a gestão da ARIE S.N.E., desde as intenções que levaram a sua criação aos resultados alcançados, ou seja, se ela tem cumprido os objetivos previstos no Decreto de criação e no Sistema Nacional de unidades de Conservação (SNUC).  Os principais documentos que subsidiaram a análise foram: o processo de criação da unidade de conservação n° 02001.001531/99-67 IBAMA/MMA ADM. CENTRAL, o Decreto Federal s/n° de 20 de agosto de 1999, os relatórios do Programa de Monitoramento de Áreas Especiais (ProAE) do SIPAM, os Programas de Monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE (PRODES e BDQUEIMADAS), os Estudos de Vegetação e Levantamento Socioeconômico produzidos por uma equipe de Engenharia Florestal da Universidade Federal do Acre, a legislação ambiental vigente e os mapas de uso e cobertura do solo produzidos para esta pesquisa. Na elaboração desses mapas, foram utilizadas imagens dos satélites Landsat-5 TM (1985, 1995, 2004 e 2009), Landsat-7 ETM+ (1999) e Landsat-8 Olis (2013 e 2014). No ArcMap 10.1 foi utilizado o classificador supervisionado de máxima verossimilhança com a adoção de duas unidades de mapeamento: área antropizada e floresta. Os resultados da classificação indicaram que a área antropizada da ARIE cresceu de 10,43% no ano de 1999 (ano da criação da UC) para 44,39% em 2014. Considerando o histórico da ARIE Seringal Nova Esperança e os conflitos nela existentes, concluiu-se que a ARIE S.N.E. está longe de ser implementada e assemelha-se às ditas “unidades de conservação de papel” que muitos autores têm criticado. Com base no estudo realizado, entende-se que deve haver uma decisão institucional quanto ao futuro da UC no sentido de sua implementação e consolidação ou sua extinção, com a consequente transformação da área em assentamento rural.

Compartilhar