Paisagem do Parque Nacional da Serra da Canastra e de sua zona de amortecimento - MG: análise de padrões espaciais a partir de árvore de decisão e métricas de paisagem

Português
Pesquisa
Belo Horizonte
2014
O acesso a essa publicação foi autorizado pela autora.

Descrição

Resumo

O Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC), localizado na porção sudoeste do estado de Minas Gerais é uma área de grande relevância ambiental considerada como “Área prioritária para conservação da flora e da fauna”. É a segunda maior unidade de conservação desse estado e de acordo com o Plano de manejo, sua paisagem é composta de ambientes preservados e antropizados e seu entorno vem sendo cada vez mais degradado pelos diferentes tipos de uso da terra, fragmentando a paisagem, aumentando a pressão antrópica sobre o PNSC e causando problemas ambientais como processos erosivos, compactação do solo e contaminação da água. É nesse contexto que este estudo se coloca: a proposta é a construção de uma metodologia de análise da paisagem baseada nas abordagens conceituais da análise sistêmica em geografia e da ecologia de paisagens, associados a métodos computacionais de análise espacial para identificação de padrões, cujo resultado possa a subsidiar o planejamento dessa paisagem visando garantir a manutenção de sua viabilidade ecológica. Baseado na teoria da ecologia de paisagem foram obtidas métricas que descrevem a composição e configuração da paisagem por meio do seu padrão espacial possibilitando a identificação das principais formas de pressão antrópica e o mapeamento dos seus graus fragmentação, e fundamentado na análise sistêmica da paisagem, a adoção da proposta de subdivisão da área em Unidades de Paisagem. Para a identificação dessas Unidades considerou-se os seguintes elementos: geologia (CPRM), hipsometria (SRTM), declividade (SRTM), densidade hidrográfica (SRTM), solos (UFV) e cobertura vegetal e uso do solo (Mapeamento a partir de classificação de imagens Landsat 8).  A integração desses elementos foi processada por meio da interseção dos seus respectivos layers, no software ArcGIS 10.1, gerando 151.646 combinações de informação. Essas foram submetidas a um processo de mineração de dados com classificação baseada em árvore de decisão, no software Weka Explorer, utilizando algoritmo J48. A classificação apresentou taxa de acerto total de 81,92% e desempenho muito bom, de acordo com o valor do índice Kappa. As associações criadas indicaram subdivisões na área cujos limites foram refinados considerando homogeneidade e contiguidade gerando as Unidades da Paisagem (UPs) do Parque Nacional da Serra da Canastra e de sua Zona de Amortecimento. A metodologia desenvolvida mostrou-se eficaz, pois as unidades foram identificadas, delimitadas e caracterizas de acordo com seus atributos de suporte físico, biótico, de usos do solo e a sua estrutura foi quantificada a partir das métricas de paisagem calculadas. Com isso foi possível levantar as principais fragilidades dessa paisagem apontando os aspectos que demandam atenção aos órgãos públicos e à população visando à gestão sustentável dessa unidade de conservação e de sua zona de amortecimento.

Compartilhar