Fauna de abelhas (Hymenoptera, Apoidea) nos campos rupestres da cadeia do espinhaço e biogeografia de espécies endêmicas em formações campestres altimontanas do centro-leste do Brasil

Português
Pesquisa
2008
O acesso a essa publicação foi autorizado pela Biblioteca Digital da UFMG, detentora do site http://www.bibliotecadigital.ufmg.br

Descrição

O objetivo desta tese foi conhecer a riqueza, composição e distribuição geográfica em larga escala da fauna de abelhas dos campos rupestres da Cadeia do Espinhaço e investigar, os elementos endêmicos das formações campestres altimontanas e as relações históricas entre os maciços situados no centro-leste do Brasil, baseando-se na distribuição geográfica destes elementos. Coletas de abelhas ocorreram nos campos rupestres do Espinhaço entre outubro de 2004 e maio de 2006 e, nos campos  ltimontanos das serras da Mantiqueira (Itatiaia e Ibitipoca), do Caparaó, da Serra da Canastra e da Chapada dos Veadeiros, entre outubro de 2006 e abril de 2007. Dados adicionais também foram obtidos de fontes secundárias, compilando-se registros pontuais dispersos na literatura e listas de espécies de levantamentos de fauna, além do exame de espécimes depositados em coleções taxonômicas. Um número superior a 500 espécies foi registrado para o Espinhaço, para onde duas novas espécies foram descritas. A Análise de Parcimônia de Endemismo (PAE) foi usada para detectar as relações biogeográficas entre 10 maciços (> 1000 m de altitude) da região estudada e uma unidade biogeográfica formada pelas regiões subtropical/temperada da América do Sul, com base na presença e ausência de 29 espécies de abelhas. Dois cladogramas de áreas igualmente parcimoniosos foram obtidos (63 passos, índice de consistência: 0,46 e índice de retenção: 0,55) exibindo os mesmos dois clados principais. O primeiro incluiu os maciços situados mais a sudeste (imersos no domínio da Floresta Atlântica) e as regiões subtropical/temperada da America
do Sul, e o segundo, incluiu os maciços situados mais a noroeste (imersos no domínio do Cerrado). As unidades biogeográficas encontradas correspondem parcialmente com a hipótese de isolamento gradual dos maciços de acordo com aquecimento norte-sul, ocorrido após o último evento de glaciação.

Compartilhar